Muito se tem falado sobre competitividade, as empresas que não são competitivas estão correndo um sério risco de se tornarem esquecidas pelos clientes e paulatinamente sumirem do mercado. Você já fez uma análise de como está a sua empresa em relação aos correntes no quesito competitividade? Ela tem se destacado no mercado? Sua empresa tem feito a diferença no seu segmento de atuação? Tem entregado o que o cliente solicita, ou melhor, tem surpreendido- o positivamente? Definitivamente, se a sua resposta foi negativa para mais de duas das perguntas acima, está na hora de começar a pensar e principalmente agir de forma diferente.

 

Pois bem, são numerosas as ferramentas de gestão que podem auxiliar o gestor na hora de alavancar a empresa e torna-la mais competitiva. É provável que você já tenha ouvido falar e quem sabe até aplique o Mapeamento de Processos de Negócios ou Padronização de Processos dentro da sua organização. E é sobre os benefícios da aplicação dessa ferramenta e as desvantagens da não utilização dela que iremos discorrer. O Mapeamento de Processo abre um leque de possibilidades ao empresário, pois abrange a empresa como um todo e permite entre outros aspectos:

 

  • Percepção dos gargalos: torna-se simplificado tratar algo do que se tem conhecimento, minimiza-se perdas e brechas entre os departamentos da empresa.
  • Ótica gerencial e operacional: o gestor toma conhecimento da empresa como um todo e não somente como a simples soma das partes. Logo, ele tem mais tempo para pensar e agir estrategicamente.
  • Comunicação efetiva: O fluxo das informações ocorre de forma coerente, não há tarefa que seja de todo centralizada especificamente em uma pessoa.
  • Melhorias nos processos e aumento da produtividade dentro da organização: o mapeamento das tarefas, promove a padronização das atividades e consequentemente o aperfeiçoamento e melhoria das mesmas. Ganha-se em tempo, em produtividade e em resultados.
  • Análise de resultados e criação de indicadores: é feito o controle dos resultados, os dados gerados são concretos e seguros. Pode-se a partir destas informações criar históricos e em cima deste desenvolver ações de melhoria contínua.

 

Em contrapartida, o desconhecimento e a não Padronização dos Processos traz prejuízos em todos os níveis da organização, pois reflete diretamente nos lucros da empresa, influencia negativamente na satisfação do cliente e determina o posicionamento da sua empresa no mercado. Vejamos algumas desvantagens:

 

  • Falta de controle dentro da organização: o gargalos não são identificados, portanto, não são tratados, não há como tratar a raiz de algo que se são tem conhecimento.
  • Falha no fluxo de informações internas e externas: o relacionamento entre os departamentos da empresa, os clientes e fornecedores é feito de forma rasa.
  • Perdas nos processos produtivos: os processos são na maioria das vezes muito burocráticos, pouco flexíveis e ineficazes.
  • Dados inseguros: há uma diferença entre o que o gestor pensa é a empresa para o que ela realmente é. Informações e dados superficiais são iguais a tomadas de decisão desacertadas.

A sua empresa só tem a ganhar ao agregar esta ferramenta, ela é um vetor imprescindível na estruturação organizacional. O Mapeamento de Processo auxilia diretamente na gestão empresarial, pois, oferece ao gestor um pleno conhecimento do fluxo de informações. A visão sistêmica, obtida através do mapeamento de processo dá respaldo para que sejam desenvolvidas ações assertivas, minimizam-se as falhas, maximizem-se os lucros além de estrategicamente levar a sua empresa ao aumento da competitividade.

Maria Vitoria Rodrigues Alves – Engenheira de Produção – Consultora Allman